Gravidez e Problemas Respiratórios

A gestação é um período especial para a mulher, pois além de estar cuidando de uma vida que está para nascer, ela precisa cuidar da própria saúde, para garantir uma gravidez segura e um pós-parto tranquilo, cuidando de sua criança com as melhores condições. Contudo, problemas podem surgir durante o período de gestação do bebê, e um deles são os males respiratórios. Veremos adiante algumas das doenças que podem acontecer durante o período.

Devido às mudanças fisiológicas no corpo da gestante, doenças respiratórias costumam aparecer, sendo a mais comum a dispneia, isto é, a dificuldade de respirar, que ocorre devido à má frequência do ritmo de respiração durante os meses avançados da gravidez. Entretanto, a dispneia não afeta as atividades da grávida, que pode fazer exercícios físicos inclusive para manter o controle adequado de sua respiração, mantendo os cuidados próprios para não prejudicar a saúde da própria gestante, nem do bebê.Maus hábitos também podem acarretar em problemas respiratórios durante a gravidez. O mais perigoso deles é o tabagismo.

O ato de fumar durante a gestação é uma das piores atitudes a se tomar, pois compromete todo o desenvolvimento do bebê, causando sequelas na criança durante o nascimento, como perda de peso nos meses finais da gravidez, problemas de visão e respiratórios, além de um parto prematuro. Além disso, o tabagismo na gravidez deixa a mãe mais suscetível a outras doenças respiratórias, como a asma e a temível tuberculose.Estas duas doenças que atacam o sistema respiratório são as que mais afligem as grávidas. Na asma, doença crônica que se caracteriza pelas crises constantes que podem matar seus enfermos, a gestante sente os mesmos sintomas que os pacientes normais, como dificuldade de respiração, falta de ar, sibilo (chiado) nos pulmões, alta secreção e tosse. Porém, para grávidas é ainda mais perigoso, pois a falta de oxigenação no sangue diminui o fluxo do mesmo na placenta, que causa riscos ao feto.

O tratamento é feito com medicamentos e correção de hábitos diários, sem trazer esforço excessivo para a gestante.A tuberculose não traz diferenças em sua formação para grávidas e não grávidas: é uma doença infecciosa que ataca diretamente os pulmões, mas que pode atingir outros órgãos, como rins e o intestino, causando nódulos nas áreas afetadas que podem matar o infectado. Porém, assim como em outras doenças que afligem gestantes, a tuberculose em estágios avançados pode trazer má formação no feto, pelo fato da doença atacar diretamente o sistema respiratório e o sanguíneo. Portanto, os diagnósticos destas doenças devem ser feitos logo nas primeiras semanas de gestação, para realizar o tratamento. Assim, vale a dica para qualquer outro cuidado médico: evite tomar medicamentos sem prescrição médica, para evitar maiores problemas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Tratamento

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *