Diferença Entre Alimentos Diet, Zero e Light

Emagrecer é uma meta para quase todo mundo. Cuidar da saúde e ficar em forma apenas reduzindo a alimentação e fazendo atividades físicas, às vezes não é o suficiente. Para alcançarem melhores resultados com a dieta, muitas pessoas fazem dos produtos diet, light e zero uma escolha diária. E é impressionante o fato de que ainda que esses produtos façam parte das vidas de todos, pouco se sabe sobre eles. A diferença entre os termos e a composição de cada produto ainda é confusa para seus consumidores.

Nutrição

Nutrição

Muitas pessoas pensam que desde que estejam consumindo produtos com uma das etiquetas “diet”, “light” ou “zero”, já estão fazendo um grande esforço para manter a forma ou para emagrecer. Por não entenderem a diferença entre essas palavras, algumas esbanjam no consumo desses produtos com a justificativa de que “é diet mesmo… posso comer à vontade”! Como resultado disso, elas acabam engordando. Afinal, quando para que público é recomendado produtos diet? Quem deve escolher os produtos light? Quando consumir produtos zero? Aprenda de uma vez a diferenciar esses termos e faça sua dieta funcionar!

Os Produtos Diet

O termo “diet” é usado para alimentos isentos de um ou mais ingredientes, como açúcar, sódio, gorduras, proteínas, entre outros. É indicado, geralmente, para pessoas que têm algum problema de saúde. Para diabéticos, são recomendados produtos sem sacarose, glucose ou mel, ou seja, sem açúcar. Para pessoas com níveis de colesterol e triglicerídeos alto, são recomendados produtos sem gordura. E para que tem problemas de hipertensão, os produtos devem ser sem sal.

Às vezes os produtos diet estão associados à perda de peso, mas muitas vezes eles não contêm menos calorias do que os produtos normais. Em alguns casos, eles podem ser mais calóricos!

Chocolates diet, por exemplo, não contêm açúcar, pois o açúcar é substituído por adoçante. Mas eles contêm gordura e são altamente calóricos, já que geralmente adiciona-se a sua fórmula mais gordura para manter a consistência e para torná-los mais gostosos. Deste modo, esse produto é próprio para quem tem diabetes, mas não traz benefícios para quem quer perder peso, principalmente quando consumido em excesso.

Os Produtos Light

Produtos com a designação “light” em seus rótulos devem conter pelo menos 25% de redução de açúcar, gordura, etc., comparados aos produtos originais. Produtos light são recomendados para pessoas que querem controlar seu consumo de calorias. Esses produtos podem ajudar na dieta apenas quando consumidos com moderação. Um produto light que contenha 50% de redução de calorias, como algumas marcas de maionese, ingerido em grandes quantidades poderá contribuir para o aumento do peso de seu consumidor, pois o produto continua calórico!

Os Produtos Zero

Os produtos chamados “zero” são aqueles que não contêm açúcar. O açúcar, nesses casos, é substituído por adoçante. Os refrigerantes zero têm uma quantidade menor de calorias, mas, em compensação, têm mais sódio em sua fórmula. Os chocolates zero, por sua vez, não contêm açúcar nem lactose, além de conterem menos calorias e carboidratos. Esses produtos são indicados para diabéticos e para quem está fazendo dieta.

Saiba Mais

Saiba Mais

Fique Atento

É sempre bom ficar atento ao uso de produtos que contêm adoçantes! Algumas pesquisas já alertaram para o fato de que os adoçantes possam fazer engordar, em vez de emagrecer, além de poderem causar depressão, danos no cérebro e até câncer.

Essas polêmicas ainda permeiam o imaginário popular, mas os estudiosos recomendam um limite seguro de administração de adoçantes para sua vida: no caso de Aspartames, o recomendado é 50 miligramas por quilograma de peso, mais ou menos 4 latinhas de refrigerante diet por dia; no caso da Sacarina, o indicado é 5 miligramas por quilograma, o equivalente a 9 a 12 saquinhos de adoçante; para a Sucralose, recomenda-se 5 miligramas por quilograma, ou seja 6 latas de refrigerante diet; para o Acesulfame K é recomendado 15 miligramas por quilograma, o que equivale a 6 latas de refrigerante diet.

Dicas de Alimentação

Para quem está fazendo dieta ou simplesmente cuidando de sua saúde, é sempre bom ter em mente estas dicas de alimentação: escolha produtos integrais, com grãos inteiros, em vez de produtos feitos com farinha refinada (no caso de pães e biscoitos, por exemplo).

Lembre-se

Agora que você sabe qual é a diferença entre os termos “diet”, “light” e “zero”, lembre-se, se seu objetivo é emagrecer, observe bem qual é o ingrediente do qual seu produto diet está isento, observe qual é o ingrediente que seu produto light contém em menor quantidade, foque na redução de gorduras e açúcar e coma moderadamente. Vale ficar atento ao fato de que alguns produtos podem ser diet, light e zero ao mesmo tempo, já que uma categoria não exclui a outra.

Substitua

Substitua doces por frutas na hora da sobremesa; bebidas alcoólicas são calóricas e não têm valor nutricional, evite-as; frite vegetais em óleo de oliva, ou cozinhe-os, asse-os; não passe fome, opte por comer refeições leves mais vezes durante o dia, desta forma você não ficará tentado a comer muito quando for comer.

Evite

Evite tentações, não estoque doces e outras comidas calóricas no armário; fique de olho na quantidade de energia que os produtos oferecem e compare com o quanto de energia você gasta em atividades físicas; e, não poderíamos esquecer, faça exercícios físicos regularmente. Essas são dicas para quem quer emagrecer e para quem quer ter uma vida saudável.

Alimentos diet, light e zero ajudam a controlar o peso, mas uma alimentação saudável lhe trará muitos outros benefícios. Pode apostar!

Curiosidade

A partir do próximo ano (2013), as embalagens de produtos alimentícios no Reino Unido seguirão um modelo de “semáforo”. Os produtos terão etiquetas verdes, amarelas e vermelhas para indicar seus valores calóricos. As vantagens de tais etiquetas é permitir ao consumidor visualizar rapidamente o que compõe o alimento, assim ele poderá fazer escolhas mais saudáveis. Baseados em valores de recomendação diária, as etiquetas poderão indicar, por exemplo, baixa quantidade de açúcar (etiqueta verde), quantidade média de gorduras (etiqueta amarela), alta quantidade de sal (etiqueta vermelha). O sistema será voluntário, mas o governo está confiante de que as indústrias aceitarão o acordo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Nutrição

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • esses produtos sao muito bom para nossa saude

    sabrina armando 2 de abril de 2013 14:26

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *